Relações Internacionais: Geopolítica e Geoeconomia

Diário da República, 2ª série - N.196 - 7 de outubro de 2015. Anúncio nº234/2015

Considerando a crescente internacionalização dos processos sociais, a formação na área científica das Relações Internacionais tem ocupado um lugar de relevo no conjunto da oferta formativa da UAL. Este Doutoramento em Relações Internacionais: Geopolítica e Geoeconomia, que se iniciou em 2015, situa-se num contexto bem preciso do projeto institucional da UAL, sublinhando três aspetos fundamentais: a formação avançada, a investigação e a internacionalização.

Desde o lançamento da Licenciatura em Relações Internacionais na UAL, em 1989, foram realizadas diversas pós-graduações de temática internacional. A partir de 2002, lançou-se o Mestrado em Estudos da Paz e da Guerra nas novas RI, a que se soma, desde 2013, um outro Mestrado em Relações Internacionais. Este curso de 3º ciclo visa, portanto, completar a oferta formativa da área científica de RI na UAL.

Em segundo lugar, também a UAL fez o percurso de somar à função de ensino a dimensão da investigação científica, hoje assumida como estratégica. Daí o apoio à criação e/ou reforço de unidades de investigação, como o OBSERVARE, existente desde 1996 e avaliado em 2015 pela FCT com “Good”. O doutoramento insere-se nessa orientação: por um lado, os docentes são também investigadores do OBSERVARE e, por outro, a elaboração das teses deverá enquadrar-se, em regra, nas linhas de investigação adotadas pelo OBSERVARE:

  • Estudos de Segurança, da Paz e da Guerra;
  • Espaços Económicos e Gestão de Recursos;
  • Povos e Estados, construções e interações (Observare).

Uma terceira vertente do projeto da UAL é a internacionalização. Nesse sentido, o Departamento de RI da UAL e o OBSERVARE têm desenvolvido numerosas formas de intercâmbio científico e pedagógico com professores, investigadores e instituições estrangeiros – como o Norwegian Peacebuilding Resource Centre (NOREF); as Fundações FRIDE, Carolina e o Real Instituto Elcano, de Espanha; o Instituto Superior de Estudos de Defesa (ISEDEF) de Moçambique; o Instituto de Ciências Sociais e Relações Internacionais de Angola; o Instituto da Defesa Nacional de Timor-Leste; o Instituto de Relações Internacionais (IREL) da Univ. Brasília, o Dep. de RI da Univ. Pontifícia de São Paulo ou a Univ. Federal de Santa Catarina, do Brasil; o Instituto de Investigaciones Jurídicas (IIJ) da Univ. Nacional Autónoma do México; a Fundação Friedrich Ebert da Alemanha; a Universidade ORT e o Instituto Artigas do MRE, do Uruguai; ou a Univ. Megatrend da Sérvia -, concretizando-se numa grande diversidade de atividades.

Designadamente, estabeleceu-se um Programa Transnacional de Investigação estreitamente articulado com o presente Doutoramento em Relações Internacionais: Geopolítica e Geoeconomia. Tal programa assenta em protocolos formais com a Middle East Technical University (METU) da Turquia, a Sapienza Università di Roma-Itália, a Universidade Complutense de Madrid-Espanha e a Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo-Brasil, comprometendo-se estas instituições parceiras a disponibilizar professores para os seminários doutorais e orientadores de teses, participar em júris e acolher doutorandos nas suas instituições para pesquisa e elaboração da tese.

As potencialidades deste Doutoramento ficam claras: a sustentação por uma unidade de investigação reconhecida pelos pares, a qualificação do corpo docente, a participação de professores vindos de outras comunidades universitárias prestigiadas e a articulação com um programa não apenas interuniversitário, como ainda transnacional, de investigação e apoio ao curso de 3º ciclo. E deve sublinhar-se a matriz teórica subjacente à conceção deste curso, assente na interpenetração das dimensões políticas e de segurança e das dimensões económicas na atualidade internacional, associando de perto a análise geopolítica e a geoeconómica.

A estrutura curricular assenta em quatro Seminários doutorais, onde predomina o direcionamento para a investigação avançada, dando prioridade à problematização e à inovação teórica associadas à análise da realidade internacional, de modo que as futuras teses de doutoramento possam verdadeiramente contribuir para o progresso científico desta área das Relações Internacionais que se tem consolidado na sua autonomia, mas também na sua interação com outras disciplinas.

    Plano Curricular

    - Professor Doutor Luís Moita - Prof. Doutor Ricardo Sousa

    • Tipificar e caracterizar as fontes de informação no domínio científico das RI;
    • Integrar as questões epistemológicas das RI no contexto geral dos paradigmas científicos das ciências sociais;
    • Abordar os métodos contemporâneos mais utilizados em RI e evidenciar aplicações práticas;
    • Inventariar os diversos níveis de microanálise e macroanálise em RI;
    • Recensear as grandes divergências epistemológicas, metodológicas e analíticas no domínio científico das RI.

    - Prof. Doutora Ana Isabel Xavier - Prof. Doutor Filipe Vasconcelos Romão - Prof. Doutor Luís Tomé

    • Compreender e analisar as dimensões e dinâmicas da geopolítica mundial e da segurança internacional à luz das abordagens e evoluções mais recentes, tanto ao nível global como local ou regional;
    • Cruzar várias sub-áreas científicas associadas às RI – Geopolítica, Estudos de Segurança, Estudos Estratégicos e Estudos para a Paz -, estabelecendo um quadro interdisciplinar e uma rede transnacional de análise;
    • Aprofundar o conhecimento e debater conceitos e teorias, bem como as suas evoluções e operacionalidade;
    • Reflectir sobre as influências da geografia e da história nas percepções e nos comportamentos políticos;
    • Entender a estrutura de poder, as agendas de segurança e as políticas e estratégias dos principais actores;
    • Problematizar os vectores de cooperação e de conflito na política internacional e regional (da área Euro- Atlântica à Ásia-Pacífico), bem como as interacções entre os níveis local, regional e mundial.

    - Prof. Doutor Miguel Santos Neves - Prof. Doutor Renato Pereira

    • Conhecer aprofundadamente metodologias analíticas ligadas à crescente relevância da geoeconomia nas RI e sua interacção com a geopolítica;
    • Analisar as dinâmicas da globalização nas suas múltiplas dimensões, a sua interação com o processo de localização associado às redes de conhecimento, e o impacto sobre os Estados face ao crescente poder de atores não-estatais.;
    • Compreender as causas e efeitos da redistribuição de poder económico, os factores determinantes da ascensão das economias emergentes e os mecanismos de projeção do seu poder;
    • Capacidades de avaliação das potencialidades e limitações das respostas dos Estados aos novos desafios, designadamente ao nível da regulação, da integração económica regional, da diplomacia económica e da reforma dos modelos de governação;
    • Capacidades acrescidas de investigação numa perspectiva interdisciplinar e competências específicas para análise crítica de opções de política pública e das estratégias do sector privado.

    - Prof. Doutor Miguel Santos Neves - Profª. Doutora Nancy Gomes

    • Aquisição de conhecimentos aprofundados sobre metodologias de investigação;
    • Aprofundamento dos conhecimentos sobre as técnicas de concepção de um projecto de investigação;
    • Aquisição de competências relativamente às linhas orientadoras e aos princípios gerais a observar na redacção da tese;
    • Aprofundamento de temáticas específicas que constituam objecto de investigação;
    • Aquisição de competências no que respeita à capacidade de exposição, argumentação e debate de ideias;
    • Desenvolvimento da capacidade de interiorização de críticas e sugestões apresentadas em sessões de debate dos projectos de tese.

    * Possibilidade de estadia para investigação numa das instituições estrangeiras parceiras

    * Possibilidade de estadia para investigação numa das instituições estrangeiras parceiras

    * Possibilidade de estadia para investigação numa das instituições estrangeiras parceiras

    * Possibilidade de estadia para investigação numa das instituições estrangeiras parceiras