Psicologia Clínica e de Aconselhamento

O Mestrado em Psicologia Clínica e de Aconselhamento (2º ciclo de estudos), fundamental para a prática profissional da Psicologia, permite aos mestrandos aprofundar conhecimentos teóricos relativos à compreensão do Ser Humano e suas problemáticas, assim como, desenvolver competências específicas de intervenção psicológica, nos diversos âmbitos de ação (ex. na prática clínica de relação de ajuda e aconselhamento; nas situações profissionais múltiplas em que as competências relacionais sejam determinantes, tais como, gestão de equipas, gestão de relacionamentos institucionais ou profissionais; na avaliação psicológica; no psicodiagnóstico).

Não descurando a exposição de conteúdos teóricos fundamentais à sedimentação do conhecimento da ciência psicológica, é privilegiada a aprendizagem experiencial que permite uma vivência integrada da forma de realizar uma intervenção psicológica. Como exemplo, em UCs Aconselhamento e Terapia de Família I e II, é utilizado o psicodrama profissional, considerado como uma ferramenta de aprendizagem experiencial; nas UCs Temas Transdisciplinares em Psicologia, os alunos participam ativamente na organização de conferências e sua divulgação.

O 2º ano ciclo de estudos tem a duração de dois semestres (60 ECTS) e é destinado à preparação e apresentação de uma dissertação original ou à realização de um estágio curricular e à preparação do respetivo relatório ou na opção mista (dissertação, estágio e relatório de estágio). Os alunos têm a oportunidade de desenvolver o estágio académico nas mais diversas instituições e contextos de intervenção, nomeadamente, na área da saúde primária, em contexto hospitalar, em instituições de ensino e de reabilitação, em lares e centros de apoio a diferentes populações e problemáticas.

O grau de Mestre em Psicologia Clínica e de Aconselhamento será conferido após aprovação nas UCs e na Dissertação (opção Investigação) ou no Relatório de Estágio (opção Estágio) ou em ambas (opção mista).

Especificidades do curso:

  • Observação de consultas de Psicologia e Logopedia (realizadas por docentes do curso de Psicologia da UAL, psicólogos efetivos da OPP);
  • Realização do Workshop de Desenvolvimento Pessoal e Integração Académica (início do Ano Letivo).
  • Obtenção de ajuda (apoio psicológico) face a dificuldades de ordem pessoal, através do Gabinete de Aconselhamento e Promoção da Saúde (GAPS).
  • Acesso aos Laboratórios de Psicometria e de Neurociências;
  • Envolvimento no Gabinete de Tutoria. Os melhores alunos do mestrado podem candidatar-se a uma bolsa de estudo o que lhes permitirá dar apoio aos alunos da licenciatura que apresentem dificuldades de âmbito académico;
  • Integração das dissertações de mestrado nos projetos de investigação desenvolvidas no Centro de Investigação em Psicologia (CIP) do qual fazem parte os orientadores/investigadores.
  • Desenvolvimento de atividades extra curriculares de cariz social e solidário. A participação ativa dos alunos na sua organização, potencia o desenvolvimento de competências sociais, pessoais e profissionais relevantes no futuro.

    Plano Curricular

    Sensibilizar os alunos para os conceitos e a prática da intervenção em Aconselhamento, numa perspectiva humanista. Esta sensibilização parte de um aprofundamento conceptual que se pretende apoiado na observação e análise de casos reais, e na experiência da entrevista de ajuda.

    Os alunos, no final da UC, devem ser capazes de:

    • realizar entrevistas de ajuda numa perspectiva humanista;
      identificar os conceitos-chave associados ao aconselhamento centrado no cliente;
    • debater e explicar, com clareza e profundidade, os princípios teóricos em que assenta a Abordagem Centrada na Pessoa;
    • identificar as diversas formas que o aconselhamento pode assumir, numa perspectiva humanista.

    São abordados o Paradigma Sistémico e a Teoria Geral dos Sistemas assim como as suas implicações para a compreensão da família.

    Os alunos deverão:

    • Adquirir uma visão critica dos paradigmas científicos e de analise vigentes e a destrinca entre o paradigma cartesiano e sistémico.
    • Compreender a história da família e sua contextualização socio-cultural como instituição
    • Adquirir conhecimentos relativos as dinâmicas familiares e sua intersubjectividade e mecanismos de autorregulação e homeostasia
    • Compreender os fundamentos da teoria sistémica e sua aplicação
    • Demonstrar capacidade de compreensão clinica e analise dos diversos processos familiares
    • Revelar capacidade de compreensão clinica das diversas vulnerabilidades e perturbações familiares
    • Compreender os processos de transgeracionalidade
    • Adquirir competências para elaborar um genograma familiar

    Escolher apenas uma das duas opções:

    1. Conhecer os principais aspectos clínicos das doenças neurológicas, nomeadamente sinais e sintomas, etiologias, fisiopatologia e terapêutica
    2. Conhecer as principais doenças neurológicas
    3. Desenvolver a noção do papel do psicólogo clinico e d e aconselhamento no tratamento das doenças neurológicas;
    4. Perceber a complementaridade entre a Medicina e a Psicologia no tratamento destas doenças

    • Conhecer e utilizar modelos teóricos sobre o desenvolvimento infantil. Factores protectores e factores de risco.
    • Conhecer, diferenciar e justificar os modelos teóricos sobre as perturbações psicológicas na idade infantil ena vida adulta.
    • Reflectir sobre a prevenção das perturbações da pessoa.

    • Proporcionar uma visão geral e crítica de algumas das principais questões da história da psicoterapia
    • Abordar bases da situação clínica inerentes ao setting, 1ª sessão, diagnóstico, prognóstico, contrato terapêutico, efetividade e técnicas terapêuticas
    • Discutir, criticar e proporcionar um entendimento de questões candentes como Inconsciente, consciente, transferência e contra-transferência
    • Discutir a importância das variáveis do profissional e do cliente, inerentes ao processo de relação psicológica, em contextos específicos
    • Abordar diferentes formas de intervenção terapêutica, com populações específicas
    • Proporcionar uma reflexão sobre a técnica da interpretação
    • Sensibilizar para a necessidade e pertinência da investigação em psicoterapia

    No seguimento de Psicologia Aconselhamento I, pretende-se que os alunos aumentem o seu nível de formação teórico-prática, assente no aprofundamento de conceitos que caracterizam a perspectiva humanista, nomeadamente a teoria da personalidade e a utilização das 6 condições necessárias e suficientes para a mudança, como meio de “diagnóstico relacional”.

    Estas aprendizagens permitir-lhes-ão realizar intervenções, na prática do aconselhamento psicológico, adequadas aos contextos com que se deparam no decorrer da actividade profissional, nomeadamente clínicos ou mais direccionados para a promoção/ manutenção da saúde.

    No final, os alunos deverão ser capazes de analisar criticamente a sua forma-de-estar durante a realização de entrevistas de ajuda; analisar casos estudados à luz da teoria da personalidade humana; analisar a potencialidade terapêutica de casos apresentados, através do recurso às 6 condições necessárias e suficientes para a mudança como meio de “diagnóstico relacional”.

    A UC tem como objectivo o estudo dos aspectos teórico-práticos dos diferentes modelos de intervenção psicoterapia de Família. São abordados o aspectos referentes ao paradigma Sistémico e sua adequação à terapia familiar nos diferentes modelos conceptuais de intervenção terapêutica.

    Nesta UC os alunos deverão:

    • compreender os fundamentos da teoria sistémica e sua aplicação;
    • compreender os diversos modelos teóricos de abordagem e intervenção com a família;
    • demonstrar capacidade de compreensão e análise dos diversos processos familiares;
    • revelar capacidade de compreensão clínica das diversas vulnerabilidades e perturbações familiares;
    • compreender os diferentes modelos terapêuticos de base e sua aplicação à terapia de família;
    • compreender a dinâmica familiar observada nas sessões terapêuticas e o tipo de intervenção prestada;
    • desenvolver competências de análise clínica;
    • desenvolver competências de realização de um genograma familiar, compreender a riqueza da sua utilização e análise.

    • Utilizar diferentes modelos teóricos, que estão na base da consulta psicológica com bebés, crianças,adolescentes, adultos e idosos.
    • Pensar a consulta psicológica com base num desenho coerente da metodologia do diagnóstico progressivo (“guideliness for the assessment process”) e da planificação de intervenção de orientação/indicação dos casos clínicos.
    • Melhorar conhecimentos, justificar e integrar as técnicas fundamentais da entrevista e da observação e as técnicas complementares (testes).
    • Saber formular a hipótese de diagnóstico definitivo à luz da análise e da síntese dos resultados qualitativos e quantitativos obtidos.
    • Reflectir e praticar as garantias éticas requeridas na avaliação psicológicas e no planeamento da intervenção.
    • Conhecer, avaliar e praticar o planeamento da intervenção.
    • Repensar os desenhos clínicos que se utilizam nas consultas psicológicas.

    Escolher apenas uma das duas opções:

    • Conhecer as bases, objectivos e âmbito da intervenção em psicologia e sociologia dos Comportamentos Desviantes.
    • Compreender a importância da intervenção da Psicologia no âmbito das organizações que intervêm nesta área e demais contextos ligados à Marginalidade e à Delinquência.
    • Conhecer o papel do psicólogo no contexto da psicologia dos comportamentos desviantes e da intervenção para a mudança nesta área

    Conhecimento dos modos de acção, de apresentação, das indicações e dos efeitos desejáveis e indesejáveis (secundários, colaterais, graves) de fármacos e, em especial, de psicofármacos.

    Apresentação das diferentes formas de terapia a combinar segundo o paciente.

    Como trabalhos práticos os alunos vão conhecer uma afecção e seus sintomas, saber fazer a anamnese de saúde e medicamentosa com Genograma e distinguir em pacientes os efeitos secundários através da Escala de Mannheim.

    Os pacientes tratados por médicos são estudados pelos Alunos segundo três categorias: com doença de ansiedade, com depressão, com psicose.

    Assim, estarão aptos a distinguir o que é próprio da doença e o que advém dos efeitos secundários dos medicamentos que tomam.

    Tem como principal objectivo proporcionar aos alunos uma visão geral sobre vários temas transversais às diferentes áreas da psicologia.

    Abordar, de acordo com o estado da arte, questões teóricas e filosóficas, tipos de práticas, investigação, modelos psicoterapêuticos, princípios éticos e deontológicos.

    Possibilitar a complementaridade e o alargamento de temáticas que vão para além do currículo proposto nas UCs e que alicercem a formação em psicologia.

    Contactar com saberes, experiências de profissionais e investigadores de elevado mérito. Actualizar conhecimentos de “ponta” ao nível da ciência, impossíveis de prever e consequentemente, de enquadrar nas UCs em funcionamento.

    Via Mista (Dissertação e Estágio).

    • Preparar os alunos para a reflexão epistemológica e para o domínio das bases da teoria do conhecimento
    • Dar a conhecer alguns dos principais representantes da epistemologia contemporânea
    • Sistematizar elementos e formatos da metodologia científica.
    • Listar alguns dos principais instrumentos de medida utilizados em psicologia.

    Via Mista (Dissertação e Estágio).

    • Pretende-se estimular a capacidade de análise e de reflexão sobre a pertinência do tipo de intervenções que observam e sobre a gestão das dinâmicas institucionais.
    • Ajudar os alunos a sedimentar competências e conhecimentos teóricos relativamente à intervenção psicológica nos diferentes locais de estágio. Acompanhar os alunos na prática clínica no âmbito da realização do seu estágio académico.
    • Sensibilizar os alunos para as questões éticas e deontológicas ligadas à profissão de psicólogo, tais como, a conduta e postura do profissional.

    Dissertação
    24 ECTS

    Via Investigação (Dissertação).

    Escolher apenas entre um dos Grupos a), b) e c):

    • Via Investigação (Dissertação)
    • Via Profissionalizante (Estágio)
    • Via Mista (Dissertação e Estágio)

    Estágio I
    8 ECTS

    Via Profissionalizante (Estágio).

    Via Profissionalizante (Estágio).

    Estágio I
    7 ECTS

    Via Mista (Dissertação e Estágio).

    Via Mista (Dissertação e Estágio).

    Via Mista (Dissertação e Estágio).

    Dissertação
    15 ECTS

    Via Mista (Dissertação e Estágio).

    Via Investigação (Dissertação).

    • Ajudar os alunos no aperfeiçoamento dos projetos de investigação e do curso da mesma com base na metodologia científica
    • Ajudar a desenvolver uma atitude auto-crítica e de análise relativamente aos projetos de investigação
    • Possibilitar uma preparação para a apresentação pública do trabalho realizado
    • Saber estruturar e delinear um projeto e desenvolver uma investigação
    • Saber analisar autocriticamente as investigações em curso
    • Saber apresentar publicamente uma investigação tendo em conta a gestão de tempo, clareza no discurso
    • Saber argumentar criticamente sobre o trabalho realizado

    Dissertação
    24 ECTS

    Via Investigação (Dissertação).

    Estágio II
    8 ECTS

    Via Profissionalizante (Estágio).

    Via Profissionalizante (Estágio).

    Via Profissionalizante (Estágio).

    Estágio II
    7 ECTS

    Via Mista (Dissertação e Estágio).

    Via Mista (Dissertação e Estágio).

    Via Mista (Dissertação e Estágio).

    Dissertação
    15 ECTS

    Via Mista (Dissertação e Estágio).