Serviço de Acção Social Escolar (SASE)

O Serviço de Ação Social Escolar tem por missão a atribuição de benefícios sociais e incentivos à formação dos alunos, através da aplicação do regulamento de ação social e do regulamento das bolsas de estudo e bolsas por mérito, e da gestão dos protocolos estabelecidos com várias entidades, por forma a que nenhum estudante seja excluído do ensino superior por incapacidade financeira.

Principais Apoios Sociais

• Redução de propinas, taxas e outros benefícios no âmbito do Regulamento da Universidade Autónoma de Lisboa
• Bolsas da DGES – Direção Geral do Ensino Superior
• Bolsa de Mérito
• Programa Retomar
• Financiamento de propinas no âmbito do Convénio com o Santander Universidades

Tabela de Benefícios Sociais e outras reduções de propinas aprovadas pela Entidade instituidora da Universidade Autónoma para o ano lectivo 2017/2018

OUTROS BENEFÍCIOS SOCIAIS

Redução de Propinas a alunos economicamente carenciados, desde que tenham concorrido previamente às bolsas da DGES, e não tenham sido contemplados, a alunos provenientes dos PALOPS e a alunos cuja situação socioeconómica se altere ao longo do ano letivo.

Prazos de candidatura:
Alunos provenientes dos PALOPS
• 15 dias após o ato da inscrição

OUTROS:
(alunos que se candidataram à bolsa da DGES e não tiveram apoio)
• 15 dias após divulgação do resultado

Tabela aplicada pelo SASE da UAL:
RENDIMENTO PER CAPITA E RESPETIVA REDUÇÃO
Inferior a 50% do IAS (421,32€) – Situação económica não esclarecida
de 50% a 75% do IAS (421,32€) – 20%
de 75% até ao limite do IAS – 10%

BOLSAS DE ESTUDO
Para mais informações deve dirigir-se ao SASE da UAL ou consultar a página da internet da DGES

A Direção Geral do Ensino Superior disponibiliza um simulador para determinar o valor da bolsa de estudo que poderá vir a usufruir. Clique aqui para aceder.

A presente versão do simulador não permite avaliar condições específicas associadas às seguintes situações:
• Estágios profissionais;
• Alunos inscritos em tempo parcial;
• Alunos com estatuto de trabalhador estudante;
• Alunos que tenham procedido a mudança de curso;
• Situações excecionais previstas na legislação em vigor;
• Agregados familiares com rendimentos empresariais e profissionais que resultem de contabilidade organizada, declarada em Anexo C da declaração do IRS;
• Agregados familiares com rendimentos de capitais que resultem de participações em sociedades por quotas;
• Alunos inscritos na tese, dissertação, projeto ou estágio do curso;
• Agregados unipessoais com rendimentos inferiores a seis vezes o indexante dos apoios sociais em vigor;
• O simulador não permite, também, avaliar a atribuição de complementos.

PRAZOS DE SUBMISSÃO DO REQUERIMENTO – artigo 28.º do Regulamento
Artigo 28.º – Prazos de submissão do requerimento
1 — O requerimento de atribuição da bolsa de estudo para um ano letivo deve ser submetido:
a) Entre 25 DE JUNHO e 30 DE SETEMBRO;
b) Nos 20 dias úteis subsequentes à inscrição, quando esta ocorra após 30 de setembro;
c) Nos 20 dias úteis subsequentes à emissão de comprovativo de início de estágio por parte da entidade que o faculta, nos casos previstos no n.º 3 do artigo 1.º
2 — Ocorrendo a inscrição antes de 30 de setembro, o estudante dispõe sempre de um prazo de 20 dias úteis para submeter o requerimento, mesmo que esse prazo ultrapasse aquela data.
Pode consultar aqui
https://www.dges.gov.pt/wwwBeOn/?plid=373
informação sobre datas limite para submissão dos requerimentos.
3 — Sem prejuízo do disposto nas alíneas b) e c) do número anterior, o requerimento pode ainda ser submetido entre 1 de outubro e 31 de maio, sendo, nesse caso, o valor da bolsa de estudo a atribuir proporcional ao valor calculado nos termos do presente regulamento, considerando o período que medeia entre o mês seguinte ao da submissão do requerimento e o fim do período letivo ou do estágio.
(informação retirada do site da DGES):

 

PROCEDIMENTOS PARA 2018 / 2019
A Bolsa de Estudo destina-se a todos os estudantes que estejam a frequentar o ensino superior.
Todos os candidatos que possuam as credenciais de acesso (código de utilizador + palavra-passe), mesmo que não tenham estado inscritos no ano letivo 2017 / 2018 ou anteriores, podem efetuar a renovação da candidatura na sua área pessoal. Caso não as tenha, pode fazer a sua recuperação aqui.
https://www.dges.gov.pt/wwwBeOn/?plid=373
Os novos candidatos, que não possuam as credenciais de acesso (tenham frequentado o Ensino Superior, mas nunca tenham concorrido à bolsa), deverão dirigir-se DE IMEDIATO ao Gabinete de Ação Social da Universidade Autónoma, munidos do seu documento de identificação (Cartão de Cidadão), para efetuarem o pré-registo – receberem as credenciais de acesso (código de utilizador + palavra-passe) que lhes permitirão preencher e posteriormente submeter a candidatura para o presente ano letivo.
Os candidatos que ingressam pela 1ª vez no ensino superior/1º ano (incluindo os que frequentaram em anos anteriores unidades curriculares avulsas), poderão solicitar as credenciais de acesso (código de utilizador + palavra-passe) após a matrícula na Universidade Autónoma no corrente ano letivo.
Os candidatos que tenham solicitado a bolsa de estudo através do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior (público), quer no corrente ano letivo quer em anos letivos anteriores, deverão contactar DE IMEDIATO o Gabinete de Ação Social para solicitar a transferência do requerimento de bolsa do ensino superior público para o ensino superior privado/Universidade Autónoma.

Bolsas de estudo para frequência de estudantes com incapacidade
Despacho n.º 8584/2017 (2.ª série) de 29 de setembro
Foi aprovado o regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo para Frequência no Ensino Superior de Estudantes com incapacidade igual ou superior a 60%, de acordo com o qual os estudantes elegíveis podem solicitar a concessão de uma bolsa de estudo correspondente ao valor da propina efetivamente paga.
Podem candidatar-se a esta bolsa os estudantes que:
• estejam matriculados e inscritos numa instituição de ensino superior;
• comprovem o grau de incapacidade através de um atestado médico de incapacidade multiuso;
• tenham a situação tributária e contributiva regularizada.
De acordo com o despacho do diretor-geral do Ensino Superior disponível abaixo, os requerimentos para atribuição desta bolsa podem ser submetidos até ao final do ano letivo a que respeitam.
Deverão dirigir-se ao Gabinete de Ação Social da Universidade Autónoma, munidos do seu documento de identificação (Cartão de Cidadão), para efetuarem o pré-registo – receberem as credenciais de acesso (código de utilizador + palavra-passe) que lhes permitirão preencher e posteriormente submeter a candidatura para o presente ano letivo.

 

PROGRAMA RETOMAR
O programa retomar é uma medida que se insere no Plano Nacional de Implementação de Uma Garantia Jovem, aprovada pela Resolução do Conselho de Ministros nº 104/2013, de 31 de dezembro.

O programa retomar tem como principais objetivos:
• Permitir o regresso à educação e formação, em contexto de ensino superior, de alunos que pretendam complementar formações anteriormente iniciadas ou realizar uma formação diferente, nomeadamente incentivando o regresso de ANTIGOS ALUNOS que abandonaram o ciclo de estudos antes da sua conclusão;
• Combater o abandono escolar no ensino superior, tendo presente critérios de utilidade social de empregabilidade;
• Promover a qualificação superior de jovens que não estão nem a trabalhar, nem inseridos em percursos de educação ou formação.

 

Bolsas de Mérito:

No âmbito do Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo por Mérito a Estudantes de Instituições de Ensino Superior, publicado no Despacho n.º13531/2009, de 9 de junho, os alunos contemplados de acordo com o art.º 5º do regulamento do Despacho acima referido reuniram as condições de aproveitamento excecional:

Ano letivo 2014/2015:

  •  Carlos Joaquim D’Ascenção Estequim: 1º ano do 2º ciclo de História – média 17,83
  •  Marisa Dolores Carreira Moreira: 3º ano do 1º ciclo Psicologia – 18,20
  • Pedro Maria Thomaz R. de Almeida: 3º ano do 1º ciclo de Engª Informática – 18,30
  • João Miguel do R. Serralha: 2º ano do 1º ciclo de C. da Comunicação – média 16,91

Ano letivo 2013/2014:

  •  Isabel Faustino Balbino: 2º ano do 2º ciclo de Psicologia – média 19
  •  Leonor Isabel R. Júdice Costa – 2º ano do 2º ciclo C. Documentais – média de 18
  • Margarida Mª da C. Meireles Cabral: 2º ano do 2º ciclo de Psicologia – média 18
  • Manuel Sommer: 2º ano do 2º ciclo de Psicologia – média 18

Ano letivo 2012/2013:

  • Isabel Faustino Balbino: 1º ano do 2º ciclo de Psicologia – média 19
  • Afonso Miguel de Herédia – 3º ano do 1º ciclo de Psicologia – média de 18,4
  • Francisco M. M. C. Castro: 1º ano do 2º ciclo de Psicologia – média 18
  • Cátia Sofia Sequeira da Costa: 2º ano do 2º ciclo de Gestão – média 18
  • Patrícia Rafaela R. Gouveia: 3º ano do 1º ciclo de Psicologia – média 17,7

Ano letivo 2011/2012:

  • Eduardo Daniel Filipe Ferreira Magno: Mestrado Integrado em Arquitetura – média 17,34
  • Isabel Faustino Balbino – 3º ano do 1º ciclo de Psicologia – média de 18,8
  • Francisco Manuel Morgado da Costa e Castro: 3º ano do 1º ciclo de Psicologia – média 18,6
  • Nuno Miguel Belo Quaresma: 2º ano do 2º ciclo de Relações Internacionais – média 18
  • Margarida Maria da Conceição Meireles Cabral: 3º ano do 1º ciclo de Psicologia – média de 17,9

Ano letivo 2010/2011:

  • Maria Paula Mora Roriz: 1º ano do 2º ciclo de Psicologia – média de 17
  • Maria Clara Duarte Barata Gomes – 1º ano do 2º ciclo de Psicologia – média de 16,6
  • Francisco Manuel Morgado da Costa e Castro: 1º ano do 1º ciclo de Psicologia – média 17,4
  • Sérgio Pedro Filipe Baptista: 1º ano do 2º ciclo de Gestão – média 16,9
  • Nídia Maria Laranjeira Silva: 1º ano do 2º ciclo de Gestão – média 16,5
  • Martina Nitzche: 2º ano do 1º ciclo de Psicologia – média de 16,5

 

FINANCIAMENTO
No âmbito do protocolo existente com o Santander Universidades, o balcão da Autónoma têm um conjunto produtos desenhados a pensar nos alunos da UAL. Consulte as condições de financiamento.