Arquitetura (Mestrado Integrado)

Despacho n.º 9957-AP/2007, de 18 de Abril

PROVAS DE INGRESSO

Uma das seguintes provas:

  • 06 – Filosofia
  • 10 – Geometria Descritiva
  • 16 – Matemática

O plano de estudos está dividido em dois ciclos segundo o Processo de Bolonha.

O 1º ciclo, com a duração de 3 anos, confere o grau de Licenciatura em Estudos de Arquitectura e corresponde à obtenção de 180 ECTS.

  • Despacho n.º 9957-AP/2007, de 18 de Abril, Acreditado pela A3ES, em 09/06/2014.
  • Despacho n.º 9957-AP/2007, de 18 de Abril

O 2º ciclo, com a duração de 2 anos, confere o grau de Mestrado Integrado em Arquitetura e corresponde à obtenção de 120 ECTS.

    Plano Curricular

    1. Distinguir o conhecimento científico de outros tipos de conhecimento, como o religioso, o senso comum e o filosófico.
    2. Compreender o método científico e as suas especificidades nas ciências humanas e sociais.
    3. Conhecer os principais métodos de investigação utilizados nas ciências sociais, especialmente nas ciências da comunicação.
    4. Conhecer o processo de planeamento de uma investigação científica.
    5. Aprender a utilizar a linguagem e as normas técnicas adequadas para a elaboração de um trabalho científico.
    6. Construir um projecto de investigação.

    Ao concluir a UC os alunos deverão:

    1. Saber distinguir o conhecimento científico de outros tipos de conhecimento.
    2. Conhecer as especificidades do método científico nas ciências humanas e sociais.
    3. Dominar as normas para elaboração de um trabalho científico.
    4. Ser capazes de planear e construir um projecto de investigação.

    No último ano do 1º ciclo do Mestrado Integrado em Arquitectura as UC’s de Tecnologias V e Tecnologias VI, devem garantir a conclusão da aquisição de conhecimentos basilares relativos à dimensão construtiva do espaço arquitectónico, e simultaneamente familiarizar os discentes com os instrumentos e procedimentos necessários à representação, comunicação e análise das diversas opções construtivas.

    Num 1º momento os discentes resolvem e representam um conjunto de situações construtivas genéricas de um “edifício” hipotético recorrendo a soluções variadas mas correntes, permutando entre si as diversas soluções.

    Num 2º momento, e em função do programa em desenvolvimento no exercício das UC´s de Projecto, serão realizados exercícios de resolução de situações construtivas significativas e caracterizantes das diversas soluções em curso.

    Em complemento são apresentadas aulas teóricas de análise e descrição do sistema construtivo de edifícios exemplares.

    Projecto I
    11 ECTS

    Iniciação gradua à complexidade disciplinar da Arquitectura, tornando familiares, quer o maior número de especificidades espaciais, quer os conceitos concorrentes para a sua caracterização quer, ainda, os instrumentos e procedimentos necessários à sua representação e comunicação.

    Análise dos elementos constituintes do espaço urbano, identificando as experiências espacio-temporais significantes e abrindo o “saber científico” à apropriação criativa, possibilitando a invenção. Descoberta dos “mecanismos” da composição.

    Iniciação gradual às problemáticas de Projecto – Da Cidade à Casa/Da Casa à Cidade; do levantamento gráfico.

    A UC permite ao aluno conhecer as fontes da Arquitectura e do Urbanismo ocidentais desde as origens até ao final do Mundo Antigo, tendo em conta a especificidade de cada contexto espacio-temporal. Pretende-se apetrechar o aluno com a utensilagem teórica e metodológica.

    Pretende-se que, do ponto de vista dos conteúdos, o aluno:

    1. identifique os exemplos mais representativos das formas arquitectónicas;
    2. reconheça os aspectos sociais, culturais, económicos, políticos e simbólicos;
    3. identifique e compreenda os cruzamentos, sobreposições e encadeamentos formais e semânticos;
    4. possa estabelecer relações fundamentadas de analogia ou de confronto formal, funcional,e de significado.

    Pretende-se que o aluno conheça e utilize:

    1. recepção crítica da imagem;
    2. vocabulário específico;
    3. os protocolos metodológicos do trabalho académico;
    4. se familiarize com as principais fontes de informação textual, gráfica e iconográfica.

    Geometria I
    3 ECTS

    O objectivo da unidade curricular consiste na iniciação às práticas de representação, enquanto ferramentas para “desenhar arquitectura”, segundo os diversos métodos codificados e universais, como linguagens de comunicação, em graus de maior exigência e complexidade.

    Desenho I
    6 ECTS

    - Escultor Carlos Nogueira

    O objetivo da unidade curricular consiste no desenvolvimento do sentido crítico, criativo e interpretativo através do desenho. Parte-se do espaço como objeto de estudo, convocando o domínio dos materiais manuais e mentais através da experiência de utilização de várias técnicas, métodos e processos gráficos.

    Desenho II
    6 ECTS

    - Escultor Carlos Nogueira

    O objetivo da unidade curricular consiste no desenvolvimento do sentido crítico, criativo e interpretativo através do desenho. Partese do espaço como objeto de estudo, convocando o domínio dos materiais manuais e mentais através da experiência de utilização de várias técnicas, métodos e processos gráficos. Desenho II relaciona-se com o trabalho de Arquitetura para lá dos limites estritamente disciplinares.

    1. Conhecer e compreender os conceitos básicos da Geografia, assim como as suas áreas de atuação.
    2. Conhecer e aplicar as bases para a produção e utilização de cartografia analógica e digital.
    3. Conhecer a evolução territorial de Portugal.
    4. Compreender a importância do Ordenamento do Território.
    5. Conhecer as diversas dimensões do território, nas suas vertentes biótica, abiótica e antrópica.
    6. Estabelecer uma relação interpretativa entre questões globais e locais.

    Pretende-se que os alunos adquiram as seguintes competências:

    1. Capacitação para uma análise do território.
    2. Manipulação de conceitos elementares na leitura e produção de cartografia.
    3. Compreensão dos aspetos teórico-práticos de uma boa prática de Ordenamento do Território.
    4. Aquisição de saberes que permitam uma análise territorial local, mas assente em premissas globais.
    5. Compreensão a inter-relação dos conceitos adquiridos com a teoria e a prática da arquitectura.

    Geometria II
    3 ECTS

    O objectivo da unidade curricular, neste segundo e último semestre, consiste num maior desenvolvimento das práticas de representação, enquanto ferramentas para “desenhar arquitectura”, segundo os diversos métodos codificados e universais, como linguagens de comunicação, em graus de maior exigência e complexidade.

    UC permite ao aluno conhecer o percurso da Arquitectura e do Urbanismo ocidentais durante a Idade Média em sentido lato (sécs. V-XV).

    Pretende-se que o aluno:

    1. identifique e conheça os exemplos mais representativos;
    2. reconheça na arquitectura a mais transversal das artes;
    3. identifique e compreenda os cruzamentos, sobreposições e encadeamentos formais e semânticos;
    4. exercite a capacidade de estabelecer relações fundamentadas de analogia ou de confronto formal e de significado.

    Sobre o método de aprendizagem, pretende-se que o aluno:

    1. desenvolva as suas capacidades de recepção crítica da imagem;
    2. conheça e utilize o vocabulário específico;
    3. conheça e utilize os protocolos metodológicos do trabalho académico;
    4. se familiarize com as principais fontes de informação.

    Considera-se fundamental dar a conhecer aos alunos a evolução dos sistemas construtivos e das tecnologias utilizadas ao longo da história e as suas implicações na definição da materialidade dos edifícios. De igual modo é da maior relevância a compreensão das realidades construídas do seu quotidiano e o despertar da sua capacidade de olhar e de analisar. De igual modo constitui um objetivo a progressiva aproximação ao entendimento de um edifício na sua globalidade muito concretamente o conhecimento de todas as suas componentes e da complexidade que as mesmas poderão assumir.

    Projecto II
    11 ECTS

    Iniciação dos discentes à complexidade disciplinar da Arquitectura (da cidade aos objectos arquitectónicos),tornando familiares, quer o maior número de especificidades espaciais, quer os conceitos concorrentes para a sua caracterização quer os instrumentos e procedimentos necessários à sua representação e comunicação.

    Desenho III
    3 ECTS

    - Arquiteto Egas Vieira

    O objetivo da unidade curricular consiste no desenvolvimento das capacidades de observação e análise de modo a que o desenho, como reprodução gráfica dos objetos reais ou imaginados cumpra o seu papel na comunicação e análise dos desejos arquitetónicos.

    Estática I
    2 ECTS

    Domínio dos conceitos básicos da estática, nomeadamente os que se referem aos princípios fundamentais da mecânica Newtoniana, aplicada aos pontos materiais – sistemas de forças/equilíbrio e aos corpos rígidos – forças externas e internas, sistemas equivalentes de forças e binários de forças/momentos.

    Domínio da análise de estruturas isostáticas com cargas concentradas e distribuídas, reacções e equilíbrio de forças.

    A UC permite ao aluno conhecer o percurso da Arquitectura e do Urbanismo ocidentais durante os séculos XV e XVI em sentido lato, e nos contextos ibérico e português.

    Especificamente, pretende-se que, do ponto de vista dos conteúdos, o aluno:

    1. identifique e conheça os exemplos mais representativos das formas arquitectónicas e urbanas do passado renscentista nos seus componentes espaciais, morfológicos, funcionais e construtivos;
    2. reconheça na arquitectura a mais transversal das artes (social e cultural, económico, político e simbólico);
    3. identifique e compreenda os cruzamentos, sobreposições e encadeamentos formais e semânticos das diferentes linguagens arquitectónicas e configurações urbanas;
    4. exercite a capacidade de estabelecer relações fundamentadas de analogia ou de confronto formal, funcional, de significado e outros através dos diferentes contextos temporais referenciados.

    O objectivo da unidade curricular consiste em habilitar os alunos a trabalhar com soluções de CAD orientadas para a representação da Arquitectura em 2D, 3D e apresentações mistas.

    Ao longo da unidade curricular o aluno vai assimilar o funcionamento de varias ferramentas 2D e 3D assim como um leque de princípios da computação gráfica e conhecimentos mais avançados que lhe permitirão no futuro interagir com qualquer programa de CAD e desenvolver com bases a sua actividade através de desenho assistido por computador.

    A partir de desenhos em papel ou rasterizados o aluno terá de saber desenhar, em Cad rigoroso 2D, plantas cortes e alçados; e em seguida ser capaz de construir modelos 3D de Arquitectura.O aluno deverá adquirir conhecimentos na diferenciação entre as várias entidades de desenho 2D assim como as suas diferentes propriedades que definem e caracterizam a qualidade das apresentações e dos desenhos finais de projecto.

    Matemática
    3 ECTS

    Desenvolver os conceitos de áreas específicas da matemática, considerados fundamentais para a formação pessoal de um arquiteto e para a implementação nas cadeiras de Física, Física dos Edifícios 1 e 2 e Estruturas.

    Adquirir competências para a utilização da simbologia abstrata da linguagem matemática na quantificação e resolução de problemas. Desenvolver o raciocínio lógico-dedutivo e os conhecimentos de geometria e visão espacial.

    Projecto III
    12 ECTS

    Objectivos da UC

    No início pretende-se avaliar a capacidade de manuseamento formal pelo “desejo” da criação arquitectónica, a partir de um estímulo visual concreto – uma edificação existente. Coloca-se a aproximação conceptual ao problema do projecto como objectivo estruturante: identificação, invenção e construção.

    Competências da UC

    No decorrer do semestre pretende-se que, após a compreensão, quer das características morfológicas e tipológicas do tecido urbano em estudo, quer da organização deste na formação de bairro ou zona, no contexto das respectivas localizações de entre os vários limites dos territórios em estudo, sejam desenhadas propostas específicas para a criação de um sistema de construção que possibilite o diálogo urbano entre os eixos viários e a cidade consolidada.

    É objectivo fundamental deste semestre a compreensão dos principais aspectos associados à natureza geográfica e geológica de um terreno e os principais sistemas estruturais e construtivos presentemente utilizados na construção: betão; aço; madeira e pedra, bem como a compreensão dos processos de construção que estes principais sistemas implicam.

    É ainda objectivo que o aluno comece a integrar na unidade curricular de Projecto os conhecimentos adquiridos nesta unidade curricular ao longo do semestre através de desenhos simples de detalhe e pormenorização nas diferentes escalas.

    Em paralelo com os objectivos principais identificados acima ir-se-á dando a conhecer aos alunos algunsaspectos relativos a recentes inovações tecnológicas no domínio da construção, bem como das suas diversascomponentes/materiais e suas especificidades.

    Desenho IV
    3 ECTS

    - Arquiteto Egas Vieira

    O objetivo da unidade curricular consiste no desenvolvimento das capacidades de observação e análise de modo a que o desenho, como reprodução gráfica dos objetos reais ou imaginados, cumpra o seu papel na comunicação e análise dos desejos arquitetónicos. Estende-se o objetivo à compreensão da estrutura do espaço urbano e dos seus modos de habitabilidade.

    Estática II
    2 ECTS

    • Domínio dos conceitos da estática, nomeadamente os que se referem aos princípios fundamentais da mecânica Newtoniana, aplicada aos sistemas de forças/equilíbrio e aos corpos rígidos – forças externas e internas, sistemas equivalentes de forças e binários de forças/momentos.
    • Domínio da análise de estruturas isostáticas com cargas concentradas e distribuídas, reacções e equilíbrio de forças.
    • Distribuição de esforços Normais, Transverso e Momento.
    • Inércia e deformação de peças estruturais.

    Física
    3 ECTS

    A UC tem como objetivo apresentar aos alunos de Arquitetura os conceitos de Física que permitam interpretar o meio que nos rodeia, com especial enfase nos temas que se relacionam mais diretamente com a Arquitetura.

    Os conhecimentos adquiridos nesta UC terão aplicação nas cadeiras seguintes como a Física dos Edifícios 1 e 2 e Estruturas. Igualmente importante é o desenvolvimento do raciocínio na interpretação de problemas e na utilização da Matemática como linguagem privilegiada da Física.

    A UC permite ao aluno conhecer o percurso da Arquitectura e do Urbanismo ocidentais durante os séculos XV e XVI em sentido lato, e nos contextos ibérico e português.

    Especificamente, pretende-se que, do ponto de vista dos conteúdos, o aluno:

    1. Identifique e conheça os exemplos mais representativos das formas arquitectónicas e urbanas do passado renascentista nos seus componentes espaciais, morfológicos, funcionais e construtivos;
    2. Reconheça na arquitectura a mais transversal das artes (social e cultural, económico, político e simbólico);
    3. Identifique e compreenda os cruzamentos, sobreposições e encadeamentos formais e semânticos das diferentes linguagens arquitectónicas e configurações urbanas;
    4. Exercite a capacidade de estabelecer relações fundamentadas de analogia ou de confronto formal, funcional, de significado e outros através dos diferentes contextos temporais referenciados.

    O objectivo da unidade curricular consiste em habilitar os alunos a trabalhar com soluções de CAD orientadas para a representação da Arquitectura em 2D, 3D e apresentações mistas.

    Ao longo da unidade curricular o aluno vai assimilar o funcionamento de varias ferramentas 2D e 3D assim como um leque de princípios da computação gráfica e conhecimentos mais avançados que lhe permitirão no futuro interagir com qualquer programa de CAD e desenvolver com bases a sua actividade através de desenho assistido por computador.

    A partir de desenhos em papel ou rasterizados o aluno terá de saber desenhar, em Cad rigoroso 2D, plantas cortes e alçados; e em seguida ser capaz de construir modelos 3D de Arquitectura.

    O aluno deverá adquirir conhecimentos na diferenciação entre as várias entidades de desenho 2D assim como as suas diferentes propriedades que definem e caracterizam a qualidade das apresentações e dos desenhos finais de projecto.

    Projecto IV
    12 ECTS

    Objectivos da UC

    Propõe-se estimular nos alunos uma invenção formal. A esta associa-se a vontade de rigor e aprofundamento necessários à construção de um projecto em que a parte ocorre sempre para a clarificação do todo. Pretende-se que o aluno consiga produzir uma síntese racional, sobretudo referida à disciplina de Arquitectura, bem como o desenvolvimento e consolidação dos códigos e instrumentos de comunicação e construção (desenhos e maquetas). O objectivo é sensibilizaro aluno para a finalidade principal de um projecto: a sua materialização.

    Competências da UC

    Colocar a questão quer no concreto, quer no pleno usufruto do espaço, bem como nas escolhas dos materiais que caracterizam o ambiente desenvolvido, com a finalidade de criar um discurso arquitectónico consistente.

    Pretende-se familiarizar os alunos com as regras de representação de uma escala de comunicação de projecto ao nível da figura de “Projecto de Licenciamento”.

    Será um objectivo fundamental deste semestre alunos conhecerem os principais critérios exigenciais e as principais características e sistemas construtivos utilizados na construção dos vários tipos de paredes, pavimentos e coberturas.

    Será, ainda, objectivo que o aluno comece a integrar na cadeira de Projecto os conhecimentos adquiridos nesta Unidade Curricular ao longo do semestre através de desenhos simples de detalhe e pormenorização nas diferentes escalas.

    Em paralelo com os objectivos principais identificados acima ir-se-á dando a conhecer aos alunos alguns aspectos relativos a recentes inovações tecnológicas no domínio da construção, bem como das suas diversas componentes/materiais e suas especificidades.

    O objetivo da unidade curricular é estabelecer relações entre a Antropologia do Espaço e a Arquitetura, familiarizando o aluno com as diferentes formas de representação coletiva do espaço. O objetivo consiste ainda no desenvolvimento da capacidade de compreensão das múltiplas formas de vivência e representação do espaço.

    Estruturas I
    3 ECTS

    Conceitos fundamentais da resistência dos materiais, nomeadamente os que se referem ao comportamento depeças lineares – Relações tensão/extensão e dimensionamento/verificação da segurança das mesmas.

    Parte-se da premissa que, em certas condições, se pode classificar a arquitectura em duas classes: como objecto e como fundo, paisagem, cenário. E tenta-se proceder à descrição das diferentes possibilidades de experiência, conhecimento e contemplação das coisas arquitectónicas.

    O conceito de objecto aqui em causa apresenta dificuldades muitas vezes inultrapassáveis por significar mais do que a sua matéria e forma suportam e por serem objectos que através de uma linguagem e gramáticas muito próprias falam e dizem coisas acerca do mundo e de si próprios.

    Objectos estes em que a forma de os pensar não é racional, mas sensível e sentimental.Com a questão do objecto arquitectónico surge o modo humano de fabricar espacialidade e de fundar distinções entre as diferentes regiões espaciais.Assim, o gesto arquitectónico revela-se não como trabalho formal e funcional, mas como ferramenta reflexiva e a arquitectura como um ‘peculiar objecto do pensamento’ que é importante compreender.

    Dotar os alunos de arquitetura com os conhecimentos necessários de física, sobretudo termodinâmica, para que no final da UC estejam desenvolvidas as competências necessárias à análise e calculo aproximado do comportamento térmico de edifícios, bem como o despertar do sentido crítico para edifícios eficientes e a utilização racional da energia.

    UC permite ao aluno conhecer o percurso da Arquitectura e do Urbanismo ocidentais durante os séculos XIX e XX em sentido lato, integrando-o no processo de formação da cultura europeia e tendo em conta a especificidade de cada contexto espacio-temporal particular, designadamente os contextos ibérico e português.

    Pretende-se que, do ponto de vista dos conteúdos, o aluno:

    1. identifique e conheça os exemplos representativos das formas arquitectónicas e urbanas da contemporaneidade nos seus componentes espaciais, morfológicos, funcionais e construtivos;
    2. reconheça na arquitectura a mais transversal das artes, sedentarizadas em todos os seus aspectos (social e cultural, económico, político e simbólico);
    3. identifique e compreenda os cruzamentos, sobreposições e encadeamentos formais e semânticos das diferentes linguagens arquitectónicas e configurações urbanas;
    4. exercite a capacidade de estabelecer relações fundamentadas de analogia ou de confronto formal, funcional, de significado.

    Projecto V
    12 ECTS

    A Unidade Curricular Projecto V corresponde ao fecho do 1º Ciclo de Estudos em Arquitectura. É objectivo da UC a leitura crítica de uma determinada realidade no tempo, assimilando a Teoria e a História da Arquitectura,bem como a Materialidade e ainda nos procedimentos necessários à sua representação e comunicação.

    Os alunos deverão adquirir competências de análise dos elementos constituintes do Território, da Cidade, do Espaço Urbano, da Morfologia Urbana identificando as experiências espacio-temporais significantes e abrindo o “saber científico” à apropriação criativa, possibilitando a invenção.

    Constitui objectivo desta unidade curricular esclarecer sobre a função da Sociologia e o contributo da perspectiva sociológica na prática da Arquitectura, alertando para o tipo de responsabilidade e a “rentabilidade” sociais do arquitecto. Sendo verdade que não existe um laço mecânico entre a organização do espaço e a estruturação da sociedade, há sempre fortes cumplicidades que obrigam à recusa da ideia de que a própria Arquitectura e o planeamento urbanístico operam algures entre o papel, a maqueta e o vazio social.

    Pretende-se clarificar como tem desvendado a Sociologia Urbana essas cumplicidades. Confronta-se o aluno com as temáticas em torno das quais se têm gerado as maiores oposições no interior da disciplina – a existência de um objecto teórico específico, a posição das cidades no sistema mundial, as desigualdades na organização urbana, a cidade e as culturas que a atravessam, a cidade como texto, as práticas políticas urbanas ou as relações entre o campo e a cidade.

    Estruturas II
    3 ECTS

    Conceitos fundamentais da resistência dos materiais, nomeadamente os que se referem ao comportamento de peças lineares – Relações tensão/extensão e dimensionamento/verificação da segurança das mesmas.

    Compreensão do funcionamento das construções na sua vertente estrutural e de fundações, nomeadamente os relacionados com o comportamento estrutural e com os aspectos conceptuais interligados com os materiais interessados/disponíveis e os aspectos construtivos propriamente ditos.

    A Unidade Curricular aborda temas fundamentais para a concepção de um edifício com um carácter moderno,confortável e sustentável:

    1. Ventilação e renovação do ar;
    2. Iluminação;
    3. Condicionamento acústico.

    Após aprovação em FEII, o aluno deverá ser capaz de:

    1. Perceber como o edifício interage com o vento;
    2. Reconhecer os mecanismos físicos responsáveis pela ventilação natural e mecânica; dimensionar sistemas simples de ventilação natural;
    3. Dimensionar e especificar soluções construtivas para iluminação natural;
    4. Dimensionar sistemas simples de iluminação artificial;
    5. Perceber a necessidade de condicionamento acústico nos edifícios; dimensionar soluções construtivas para condicionamento acústico de edifícios.

    A UC permite ao aluno conhecer o percurso da Arquitectura e do Urbanismo ocidentais durante os séculos XIX e XX em sentido lato, integrando-o no processo de formação da cultura europeia e tendo em conta a especificidade de cada contexto espacio-temporal particular, designadamente os contextos ibérico e português.

    Pretende-se que, do ponto de vista dos conteúdos, o aluno:

    1. identifique e conheça os exemplos representativos das formas arquitectónicas e urbanas da contemporaneidade nos seus componentes espaciais, morfológicos, funcionais e construtivos;
    2. reconheça na arquitectura a mais transversal das artes,em todos os seus aspectos (social e cultural, económico, político e simbólico);
    3. identifique e compreenda os cruzamentos, sobreposições e encadeamentos formais e semânticos das diferentes linguagens arquitectónicas e configurações urbanas;
    4. exercite a capacidade de estabelecer relações fundamentadas de analogia ou de confronto formal, funcional, de significado.

    Projecto VI
    13 ECTS

    A Unidade Curricular Projecto VI corresponde ao fecho do 1º Ciclo de Estudos em Arquitectura. É objectivo da UC a leitura crítica de uma determinada realidade no tempo, assimilando a Teoria e a História da Arquitectura,bem como a Materialidade e ainda nos procedimentos necessários à sua representação e comunicação. Os alunos deverão adquirir competências de análise dos elementos constituintes do Território, da Cidade, do Espaço Urbano, da Morfologia Urbana identificando as experiências espacio-temporais significantes e abrindo o “saber científico” à apropriação criativa, possibilitando a invenção.

    No último ano do 1º ciclo do Mestrado Integrado em Arquitectura as UC\’s Tecnologias V e Tecnologias VI, devem garantir a conclusão da aquisição de conhecimentos basilares relativos à dimensão construtiva do espaço arquitectónico, e simultaneamente familiarizar os discentes com os instrumentos e procedimentos necessários à representação, comunicação e análise das diversas opções construtivas.

    Num 1º momento os discentes resolvem e representam um conjunto de situações construtivas genéricas de um “edifício” hipotético recorrendo a soluções variadas mas correntes, permutando entre si as diversas soluções.

    Num 2º momento, e em função do programa em desenvolvimento no exercício das UC\’s de Projecto, serão realizados exercícios de resolução de situações construtivas significativas e caracterizantes das diversas soluções em curso.

    Em complemento são apresentadas aulas teóricas de análise e descrição do sistema construtivo de edifícios exemplares.

    A unidade curricular estuda a evolução das ideias de cidade desde a invenção da cidade moderna, nos finais do século XIX, até à cidade contemporânea. A concentração da análise em cidades concretas permite tanto um escrutínio das ideias que estas produziram; do modo como contribuíram para transformar o urbano, como dos efeitos de algumas destas ideias na construção das cidades.

    Através deste estudo de ideias de cidade pretende-se que os alunos adquiram capacidade crítica e verbal para relacionar diferentes construções teóricas e críticas do urbano com as cidades que os rodeiam. A necessidade de produzir uma síntese explicativa capaz de relacionar ideias com factos urbanos construídos desenvolve capacidades analíticas e comunicativas que servem a unidade curricular bem como a concentração horizontal no urbanismo da estrutura curricular to quarto ano.

    Objectivos

    • sensibilizar os alunos para as questões fundamentais que se colocam no domínio específico das intervenções sobre o património arquitectónico e urbano, e para a diversidade dos domínios de intervenção;
    • apetrechar os alunos com os conceitos próprios;
    • apetrechar os alunos com o enquadramento teórico de suporte à fundamentação do projecto de intervenção sobre o património arquitectónico e urbano;
    • apetrechar os alunos com capacidade analítica e crítica para problematizar os projectos de intervenção sobre património arquitetónico e urbano.

    Competências

    • capacidade de pesquisa, análise e crítica relativamente aos conteúdos programáticos;
    • capacidade de organização e de planeamento dos trabalhos propostos;
    • domínio de conceitos e da expressão escrita e verbal relativa aos conteúdos programáticos;
    • capacidade de aplicação de conceitos e corpo teórico na execução de trabalhos;
    • capacidade de argumentação e fundamentação na aplicação de propostas.

    Objectivos:

    Considerando o universo de conhecimento do curso onde esta disciplina se integra e, consequentemente, o perfil dos alunos que o frequentam, pretende-se:

    1. apelar para a necessidade inalienável de se assumir a linguagem como um instrumento essencial à vida em sociedade
    2. igualmente, transmitir a ideia de que o carácter funcional da escrita está ao alcance de qualquer indivíduo, e que só o exercício da mesma tornará possível detectar e compreender erros que constituirão matéria para os evitar no futuro.

    Competências:

    1. Aperfeiçoamento da capacidade de expressão oral, tendo em conta:
    2. Entender o carácter diversificado da linguagem e o seu enquadramento social.
    3. A correcta execução de um discurso escrito, que contemple:
    4. Assumir a importância da leitura e da escrita para a construção do indivíduo bem como saber transmitir esse valor.
    5. Incentivar e criar disciplina no acto de leitura e levar os discentes a integrá-la como constância e hábito na sua vida.

    Projecto VII
    16 ECTS

    No Segundo Ciclo do Mestrado Integrado em Arquitectura procura-se uma síntese dos conhecimentos e domínio dos instrumentos que de uma forma mais espectral foram adquiridos no 1º Ciclo.Neste contexto o projecto e o local de intervenção é o ponto de partida para uma articulação interpretativa interdisciplinar das unidades curriculares de Projecto VII, História da Cidade, Urbanística e Tecnologias da Arquitectura.

    Pretende-se que num modelo que de algum modo replique a prática profissional, de onde convergem várias especialidades (engenharias, Arquitectura Paisagista, outras), o aluno seja colocado perante problemas complexos, sobre os quais desenvolverá o domínio da sua leitura e exercitará a capacidade de produzir respostas de síntese satisfatórias.

    É objectivo da unidade curricular a aquisição de competências na área de projecto, num contexto de aprofundamento cultural e técnico, promovendo o desenvolvimento da autonomia crítica do aluno.

    Seminário I
    1 ECTS

    1. Contribuir para a construção de saberes multidisciplinares que alicercem uma prática da arquitetura que responda aos desafios urbanos contemporâneos.
    2. Fornecer um conjunto de conhecimentos conceptuais e teóricos que permitam aos alunos complementar os seus conhecimentos e, em simultâneo, construir um corpo teórico que possam utilizar em intervenções no território.
    3. Aumentar o conhecimento sobre a cidade de Lisboa.
    4. Dar a conhecer a investigação sobre cidades realizada na UAL.

    As UC\’s de Tecnologias VII e Tecnologias VIII são o momento de exercícios de síntese, integráveis directamente na elaboração das propostas de projectos.As sínteses pretendidas são obtidas propondo uma abordagem de trabalho “bottom-up” ao invés da abordagem ” top-down”.

    Esta abordagem (bottom-up) ao deixar em crise o paradigma da sequência linear de escalas (top-down), permite o aparecimento de outras opções de análise e abordagem aos desafios da Arquitectura.

    O facto de a abordagem, propositadamente, não ser familiar aos discentes e forçar à proposta de procedimentos de organização construtiva logo no início dos processos de elaboração de projectos, obriga à conceptualização das temáticas das Tecnologias em Arquitectura. A alternativa disponível para os discentes é forçosamente o aprofundar das motivações e consequências das suas decisões, tornando simultâneos diversos níveis de decisão, sem distinção hierárquica, e tão indissociáveis quanto possível entre eles.

    Pretende-se que através da análise e interpretação da complexidade urbana, através do estudo de morfologias, tipologias, funcionalidade, carácter social, fluxos, coexistências e conflitos da área de intervenção, se adquira uma compreensão e sensibilização para os processos interdisciplinares, dando um especial tratamento às noções contemporâneas de sustentabilidade e suas consequências e contradições na sociedade ocidental.

    Pretende-se ainda motivar o trabalho de grupo e estimular a sua necessária interactividade efectiva na concepção de propostas urbanas sustentadas em reflexões sobre as várias forças que se cruzam na construção da cidade. O objectivo destes exercícios de grupo é dotar os alunos de ferramentas, de compreensão do objecto estudado, como da capacidade de crítica e proposta de soluções operativas consistentes e adequadas, à complexidade urbana contemporânea.

    A unidade curricular estuda a evolução das ideias de cidade desde a invenção da cidade moderna, nos finais do século XIX, até à cidade contemporânea. A concentração da análise em cidades concretas permite tanto um escrutínio das ideias que estas produziram; do modo como contribuíram para transformar o urbano, como dos efeitos de algumas destas ideias na construção das cidades.

    Através deste estudo de ideias de cidade pretende-se que os alunos adquiram capacidade crítica e verbal para relacionar diferentes construções teóricas e críticas do urbano com as cidades que os rodeiam. A necessidade de produzir uma síntese explicativa capaz de relacionar ideias com factos urbanos construídos desenvolve capacidades analíticas e comunicativas que servem a unidade curricular bem como a concentração horizontal no urbanismo da estrutura curricular to quarto ano.

    Objectivos

    • sensibilizar os alunos para as questões fundamentais que se colocam no domínio específico das intervenções sobre o património arquitectónico e urbano, e para a diversidade dos domínios de intervenção;
    • apetrechar os alunos com os conceitos próprios;
    • apetrechar os alunos com o enquadramento teórico de suporte à fundamentação do projecto de intervenção sobre o património arquitectónico e urbano;
    • apetrechar os alunos com capacidade analítica e crítica para problematizar os projectos de intervenção sobre património arquitetónico e urbano.

    Competências

    • capacidade de pesquisa, análise e crítica relativamente aos conteúdos programáticos;
    • capacidade de organização e de planeamento dos trabalhos propostos;
    • domínio de conceitos e da expressão escrita e verbal relativa aos conteúdos programáticos;
    • capacidade de aplicação de conceitos e corpo teórico na execução de trabalhos;
    • capacidade de argumentação e fundamentação na aplicação de propostas.

    Objectivos

    Considerando o universo de conhecimento do curso onde esta disciplina se integra e, consequentemente, o perfil dos alunos que o frequentam, pretende-se:

    1. apelar para a necessidade inalienável de se assumir a linguagem como um instrumento essencial à vida em sociedade;
    2. igualmente, transmitir a ideia de que o carácter funcional da escrita está ao alcance de qualquer indivíduo, e que só o exercício da mesma tornará possível detectar e compreender erros que constituirão matéria para os evitar no futuro.

    Competências

    1. Aperfeiçoamento da capacidade de expressão oral, tendo em conta:
    2. Entender o carácter diversificado da linguagem e o seu enquadramento social..
    3. A correcta execução de um discurso escrito, que contemple:
    4. Assumir a importância da leitura e da escrita para a construção do indivíduo bem como saber transmitir esse valor.
    5. Incentivar e criar disciplina no acto de leitura e levar os discentes a integrá-la como constância e hábito na sua vida.

    Projecto VIII
    16 ECTS

    O projecto deste semestre apoia-se e desenvolve-se a partir de estratégias lançadas no contexto da unidade curricular de Urbanística, enquadrado, tal como no semestre anterior numa lógica de condensação urbana reactiva e inversa ao “Urban Sprawl” das últimas décadas. Do ponto de vista do programa, os projectos responderão às carências detectadas nas respectivas áreas de intervenção resultantes do estudo analítico do 1º Semestre, alargando a área de influência a um perímetro mais abrangente.

    Neste contexto o projecto e o local de intervenção é o ponto de partida para uma articulação interpretativa interdisciplinar das unidades curriculares de Projecto VII, História da Cidade, Urbanística e Tecnologias da Arquitectura.

    Pretende-se que num modelo que de algum modo replique a prática profissional. É objectivo da unidade curricular a aquisição de competências na área de projecto, num contexto de aprofundamento cultural e técnico, promovendo o desenvolvimento da autonomia crítica do aluno.

    Seminário II
    1 ECTS

    Objectivos:

    • Conhecer problemas sob uma perspectiva de prática de atelier.
    • Compreender a articulação entre o trabalho do arquitecto e a urgência de respostas.
    • Adquirir novos conhecimentos específicos no âmbito da profissão do arquitecto.
    • Reflectir sobre a arquitectura de hoje.
    • Desenvolver capacidades de reflexão, seriedade e rigor profissional.

    Competências:

    • Saber reflectir sobre a prática da arquitectura na actualidade a fim de se tornar um profissional competente e inovador.

    As Unidades Curriculares de Tecnologias VII e Tecnologias VIII são o momento de exercícios de síntese,integráveis directamente na elaboração das propostas de projectos.

    As sínteses pretendidas são obtidas propondo uma abordagem de trabalho “bottom-up” ao invés da abordagem ” top-down”. Esta abordagem (bottom-up) ao deixar em crise o paradigma da sequência linear de escalas (top-down), permite o aparecimento de outras opções de análise e abordagem aos desafios da Arq.

    O facto de a abordagem, propositadamente, não ser familiar aos discentes e forçar à proposta de procedimentos de organização construtiva logo no início dos processos de elaboração de projectos, obriga à conceptualização das temáticas das Tecnologias em Arquitectura.A alternativa disponível para os discentes é forçosamente o aprofundar das motivações e consequências das suas decisões, tornando simultâneos diversos níveis de decisão, sem distinção hierárquica, e tão indissociáveis quanto possível entre eles.

    Pretende-se que através da análise e interpretação da complexidade urbana, através do estudo de morfologias, tipologias, funcionalidade, carácter social, fluxos, coexistências e conflitos da área de intervenção, se adquira uma compreensão e sensibilização para os processos interdisciplinares, dando um especial tratamento às noções contemporâneas de sustentabilidade e suas consequências e contradições na sociedade ocidental.

    Pretende-se ainda motivar o trabalho de grupo e estimular a sua necessária interactividade efectiva na concepção de propostas urbanas sustentadas em reflexões sobre as várias forças que se cruzam na construção da cidade. O objectivo destes exercícios de grupo é dotar os alunos de ferramentas, de compreensão do objecto estudado, como da capacidade de crítica e proposta de soluções operativas consistentes e adequadas, à complexidade urbana contemporânea.

    Objectivos

    1. Análise do processo de formação e características do Lugar.
    2. Crítica do Lugar e discussão do programa de intervenção.
    3. O redesenho da Paisagem como Arquitectura.

    Competências

    1. Conhecer e compreender as características e as condições de formação, bem como as capacidades do Lugar.
    2. Desenvolver a capacidade de entender as condicionantes presentes no Lugar e no seu Contexto de Paisagem, e confrontar este discernimento com o Programa de intervenção Desenvolver as capacidades conscientes de desenho projectual do Espaço de Paisagem afecto ao projecto de Arquitectura em desenvolvimento paralelo.

    O objectivo da UC é a descoberta e consolidação de processos de investigação teórico práctica em arquitectura.

    Com a exposição e o debate sobre a investigação em arquitectura e o propósito geral da parte escrita da dissertação teórica prática que os alunos devem desenvolver, pretende-se que o aluno adquira competências de investigação, pensamento abstracto, e sobretudo que se torne capaz de operacionalizar a relação entre investigação, reflexão e prática de projecto.

    Pretende-se que os alunos se autonomizem na capacidade de investigação e reflexão histórica e teórica e que desenvolvam a capacidade de argumentação oral e escrita. Pretende-se ainda que os alunos desenvolvam a capacidade de construir um problema de projecto, de o formular, de mobilizar os recursos necessários para a sua resolução (investigação) e de utilizar de forma transformadora estes recursos para a solução de problemas concretos.

    Projecto IX
    16 ECTS

    O objectivo deste primeiro semestre é que os alunos encontrem a possibilidade de construir, através da combinação destes temas:

    1. Eleger um ponto do território para trabalhar, enquanto primeira decisão de projecto;
    2. Compreender a relação entre a cidade e o rio, e eleger uma maneira de olhar para esta condição;
    3. Definir um conceito forte e unívoco;
    4. Compreender e definir a capacidade de transformação que a intervenção pode ter na paisagem (entendida como território, cidade, cultura, etc.)
    5. Reflectir a várias escalas, desde o projecto como um acto de selecção do território (janela) até ao projecto como construção de um objecto (refúgio)
    6. Os alunos devem ainda adquirir a capacidade de apresentar e comunicar o próprio projecto, de forma precisa e unívoca, através da produção rigorosa de maquetas, desenhos, vídeos, imagens.

    1. Contribuir para a construção de saberes multidisciplinares que alicercem uma prática da arquitetura que responda aos desafios urbanos contemporâneos.
    2. Fornecer um conjunto de conhecimentos conceptuais e teóricos que permitam aos alunos complementar os seus conhecimentos e, em simultâneo, construir um corpo teórico que possam utilizar em intervenções no território.
    3. Aumentar o conhecimento sobre a cidade de Lisboa.
    4. Dar a conhecer a investigação sobre cidades realizada na UAL.

    A UC aprofunda e complementa os conhecimentos adquiridos nas áreas de materiais e tecnologias de arquitectura, equipamentos, redes e instalações prediais. O aprofundamento dos conhecimentos é realizado através de análises quantitativas, sendo apresentados modelos de dimensionamento que permitam perceber o impacto e necessidades que as disciplinas de especialidade impõem ao edifício.

    Competências

    1. Identificar componentes, dimensionar e desenhar redes de abastecimento de águas e drenagem de esgotos e pluviais, e desenhar instalações de gás em edifícios
    2. Definir e caracterizar materiais e dimensionar soluções construtivas de condicionamento acústico e de elevada qualidade térmica
    3. Definir soluções construtivas para aproveitamento de energias renováveis
    4. Identificar os componentes das instalações eléctricas, dimensionar e desenhar instalações de iluminação natural e artificial em edifícios

    Assente em objectos concretos: livros que marcaram profundas transformações na teoria e na história da cultura arquitectónica, o curso analisa e critica os conteúdos, os contextos e as dinâmicas de mudança que estes livros introduziram. É uma história das ideias que informam a prática da arquitectura, mais que uma perspectiva histórica sobre os produtos destas ideias.

    Pretende-se que os alunos adquiram a capacidade crítica e verbal de relacionar a prática da arquitectura comas transformações mais vastas da cultura e da sociedade em que esta prática se desenvolve. Através da interpretação de textos complexos, e da sua explicitação em aula, pretende-se desenvolver a capacidade de síntese disciplinar e incutir hábitos de estudo e debate que fomentem a autonomia intelectual necessária num arquitecto profissional.

    Objectivos

    1. Análise do processo de formação e características do Lugar.
    2. Crítica do Lugar e discussão do programa de intervenção.
    3. O redesenho da Paisagem como Arquitectura.

    Competências

    1. Conhecer e compreender as características e as condições de formação, bem como as capacidades do Lugar.
    2. Desenvolver a capacidade de entender as condicionantes presentes no Lugar e no seu Contexto de Paisagem, e confrontar este discernimento com o Programa de intervenção Desenvolver as capacidades conscientes de desenho projectual do Espaço de Paisagem afecto ao projecto de Arquitectura em desenvolvimento paralelo.

    O objectivo da UC é a descoberta e consolidação de processos de investigação teórico prática em arquitectura. Pretende-se que os alunos se autonomizem nas suas capacidades de investigação e reflexão,que desenvolvam a capacidade de argumentação oral e escrita.

    Pretende-se sobretudo que os alunos desenvolvam a capacidade de construir um problema de projecto, de o formular, de mobilizar os recursos necessários para a sua resolução (investigação) e de utilizar de forma transformadora estes recursos para a solução de problemas concretos de forma e problemas de desenho.

    Projecto X
    16 ECTS

    O objectivo da UC é de que os alunos encontrem a possibilidade de construir, através da combinação destes temas:

    1. Eleger um ponto do território, enquanto primeira decisão de projecto;
    2. Compreender o tema e definir, de forma crítica, o programa do próprio projecto;
    3. Definir um conceito e uma estratégia de projecto forte e unívoca;
    4. Compreender e definir a capacidade de transformação que a intervenção pode ter na paisagem;
    5. Reflectir a diversas escalas sobre o projecto como um processo de construção de um objecto e como um acto de transformação do território;
    6. Adquirir uma metodologia de trabalho mais próxima possível à sua futura prática profissional, o mais próxima a de um projecto de execução;
    7. Adquirir competências relacionadas com áreas específicas como: arquitectura da paisagem, construções e tecnologia e sociologia;
    8. Adquirir a capacidade de apresentar e comunicar o próprio projecto, através da produção rigorosa de maquetas, desenhos, vídeos, imagens.

    Seminário IV
    1 ECTS

    Objectivos:

    1. Conhecer problemas sob uma perspectiva de prática de atelier.
    2. Compreender a articulação entre o trabalho do arquitecto e a urgência de respostas.
    3. Adquirir novos conhecimentos específicos no âmbito da profissão do arquitecto.
    4. Reflectir sobre a arquitectura de hoje.
    5. Desenvolver capacidades de reflexão, seriedade e rigor profissional.

    Competências:

    Saber reflectir sobre a prática da arquitectura na actualidade a fim de se tornar um profissional competente e inovador.

    A UC continua o trabalho desenvolvido em SEI, com um aprofundamento do tema de sustentabilidade e eficiência energética. O objectivo é a concepção de soluções integradas para materiais, redes e sistemas prediais para o projecto desenvolvido pelos alunos na UC Projecto X.

    Competências

    1. Caracterizar o grau de sustentabilidade do local de implantação de um edifício/empreendimento
    2. Integrar técnicas passivas de aquecimento, arrefecimento e ventilação
    3. Identificar os componentes, dimensionar e desenhar redes de abastecimento de águas e drenagem deesgotos e pluviais em edifícios
    4. Caracterização dos materiais
    5. Definir e caracterizar materiais e dimensionar soluções construtivas de condicionamento acústico
    6. Definir soluções construtivas para aproveitamento de energias renováveis
    7. Identificar os componentes das instalações eléctricas, dimensionar e desenhar instalações de iluminaçãonatural e artificial em edifícios

    Assente em objectos concretos: livros que marcaram profundas transformações na teoria e na história da cultura arquitectónica, o curso analisa e critica os conteúdos, os contextos e as dinâmicas de mudança que estes livros introduziram.

    É uma história das ideias que informam a prática da arquitectura, mais que uma perspectiva histórica sobre os produtos destas ideias. Pretende-se que os alunos adquiram a capacidade crítica e verbal de relacionar a prática da arquitectura com as transformações mais vastas da cultura e da sociedade em que esta prática se desenvolve. Através da interpretação de textos complexos, e da sua explicitação em aula, pretende-se desenvolver a capacidade de síntese disciplinar e incutir hábitos de estudo e debate que fomentem a autonomia intelectual necessária num arquitecto profissional.

    Escultor Carlos Nogueira

    Prof.ª Doutora Claúdia Pinto

    Arquiteto Egas Vieira

    Eng.º Fernando Rodrigues

    Arquiteto Paisagista João Gomes da Silva

    Prof. Doutor Joaquim Moreno

    Mestre Arquiteto José Adrião

    Prof. Doutor José Monterroso Teixeira

    Prof.ª Doutora Margarida Tavares

    Prof. Doutor Nuno Mateus

    Prof. Doutor Paulo Pires do Vale

    Arquiteto Pedro Reis

    Prof. Doutor Ricardo Carvalho

    Arquiteto Rui Mendes

    Arquiteto Telmo Cruz