História

Diário da República, 2.ª série — N.º 154 — 10 de agosto de 2020. Anúncio nº 180/2020

PROVAS DE INGRESSO

Uma das seguintes provas:

  • 06-Filosofia
  • 11-História
  • 18-Português

O primeiro ciclo de estudos em História permite ao futuro licenciado uma educação segura e distintiva em diferentes áreas complementares das civilizações do passado, nos campos do desenvolvimento cultural, político, sócio-económico, artístico, capacitando-o na compreensão da forma como as sociedades evoluíram e se relacionaram até aos nossos dias.
A licenciatura em História possibilita a oportunidade de explorar o passado sob vários ângulos interdisciplinares, destacando-se três sólidos eixos estruturais: História, História da Arte e Arqueologia, tendo presente potenciais especializações nos ciclos de estudo de formação avançada.

Pretende-se que os licenciados em História
  • adquiram capacidade de reflexão, discussão e síntese de ideias e teorização de conceitos em História;
  • compreendam as conjunturas que levaram às acções do passado e o seu reflexo no tempo presente;
  • dominem as metodologias e saibam problematizar as questões históricas de forma rigorosa, interdisciplinar, fundamentada e globalizante;
  • aprendam a investigar usando as metodologias das ciências sociais, nos locais de investigação próprios (como bibliotecas, arquivos, monumentos in situ, entre outros).
Actividades complementares a desenvolver no âmbito da Licenciatura
  • visitas a museus, monumentos e pontos de interesse patrimonial e histórico como componente das aulas práticas;
  • iniciação ao estudo da arqueologia, integrando escavações;
  • participação em conferências e congressos, de forma a estimular o desenvolvimento de competências científicas para a área da investigação.

 

Despacho n.º 9957-AS/2007, de 18 de abril, D.R. Acreditado pela A3ES, em 22/11/2013.

 

Esta licenciatura está abrangida pela Campanha “História é na UAL”. Saiba mais aqui.

Plano curricular anterior

    Plano Curricular

    - Isabel Carvalho Homem - Adolfo Silveira Martins

    • Adquirir a utensilagem teórica e metodológica adequada ao conhecimento e crítica do saber histórico no domínio da História da Antiguidade Clássica;
    • Identificar, seleccionar e avaliar fontes documentais e bibliográficas referentes à realidade política e cultural da Grécia Antiga;
    • Desenvolver técnicas, atitudes e comportamentos alicerçados nas capacidades de aprendizagem.

    - Adolfo Silveira Martins - Telmo Pereira

    A unidade curricular terá como objectivo identificar, analisar e discutir à luz dos últimos conhecimentos sobre esta área científica, as principais problemáticas existentes na actualidade, sobre os diferentes pontos propostos no programa, tendo sempre em conta informação proveniente de áreas tão distintas como a (Arqueociências, Paleontologia Humana, Arqueologia Pré-histórica, entre outras). Assim pretende-se que os alunos desenvolvam perspectivas autónomas dos temas em estudo, sendo capazes de desenvolver conceitos próprios sobre a complexidade dos movimentos culturais e da sua implementação nos diferentes contextos geográficos.

    - Armando Carvalho Homem - João Lima Sousa

    • A época Medieval na História da Europa carece de um permanente esforço de desmistificação que será o primeiro objectivo desta unidade curricular;
    • Importa, igualmente, clarificar os tempos e os modos de um tão longo período histórico, precisando assim os seus contornos;
    • Do mesmo modo, necessário se torna evidenciar os contributos civilizacionais e culturais aportados ao caldeamento do homem medieval e radicados na latinidade, no cristianismo e nos elementos germânicos que com estes se fundem;
    • Avaliar os encontros e desencontros com Bizâncio e o Islão será tarefa a completar o quadro de referências a considerar na caracterização da Europa Medieval;
    • Discernir entre o político e o institucional, o económico e o social e entrelaçar essas dimensões, será propósito a cumprir.

    - Fernando Martins - Maria Helena Macedo

    • Identificação dos fenómenos históricos relevantes na Península Ibérica com anterioridade à existência de Portugal;
    • Aquisição crítica dos conhecimentos relativos à formação de Portugal como entidade histórica autónoma num contexto peninsular medieval;
    • Aquisição de conceitos nucleares da especificidade portuguesa/peninsular num contexto de medievalidade, ocidental europeia;
    • Identificação, selecção e avaliação das fontes documentais e bibliográficas correspondentes às áreas temáticas da História Medieval de Portugal;
    • Desenvolvimento de técnicas, atitudes e comportamentos alicerçados nas capacidades de aprendizagem;
    • Actualização da abordagem historiográfica inerente à temática da medievalidade portuguesa, em ordem a uma correcta utilização dos conhecimentos adquiridos;
    • Conferências temáticas com a participação da Senhora Professora Doutora Maria Helena da Cruz Coelho.

    - Frédéric Vidal

    • Conhecer e analisar a História de Económica e social na época moderna;
    • Compreender a lógica do sistema político, as estruturas de governo e administração;
    • Analisar a evolução do mapa político europeu e o desenvolvimento da política de equilíbrio de poder;
    • Interpretar e comentar comparativamente a organização dos Estados e suas representações políticas;
    • Incrementar hábitos de leitura, reflexão e problematização, fornecendo bibliografia que permita orientar o aluno na preparação do seu estudo; em cada sessão de trabalho o professor indicará bibliografia específica;
    • Estimular a criatividade e o espírito crítico.

    - Duarte Freitas

    • Levar o aluno a compreender cada facto de per si, e a saber relacionar os posteriores com os que ocorreram em épocas anteriores, dada a evolução da Sociedade, movida pela política, economia e cultura;
    • Fazer entender a interdisciplinaridade no estudo das principais políticas gerais e do quotidiano, dado que a História não é uma Ciência Exacta, mas uma das que contam com o auxílio de um maior número de ciências laterais;
    • O aluno será classificado, através de um trabalho de investigação individual, com vista a integrar nele os itens acima referidos;
    • O Trabalho e a Frequência escrita será marcada para o final do Semestre e permitirão ao Docente da UC a verificação dos conhecimentos dos temas abordados, e uma capaz apreensão das regras que foram aconselhadas aos alunos;
    • Finalmente, a presente UC servirá sirva de base de transição para a época Contemporânea de Portugal, além de fazer integrar os seus assuntos nas conjunturas mais relevantes.

    - Aline Beuvink

    • Aculturamento na área das manifestações da criatividade humana de forma universal e abrangente, no entendimento de que as manifestações artísticas se vêm desenvolvendo entre a individualidade e a sociedade, enquadradas pelos acontecimentos e transformações, religiosas, culturais, sociais, politicas e económicas;
    • A aquisição de conhecimentos e saberes na evolução dos valores éticos e estéticos, poderão abrir aos futuros licenciados, aptidões para desenvolverem as suas actividades profissionais nas áreas da investigação em história, jornalismo, museologia e património, conservação preventiva e valorização do património cultural e artes performativas.

     

    - Frédéric Vidal

    Esta disciplina tem como objectivo fundamental fazer compreender aos Estudantes os aspectos mais importantes da sociedade industrial e pós-industrial e os diversos matizes do triunfo burguês alcançado na Europa a partir da Revolução de 1789. Após a leccionação da disciplina, os Alunos deverão estar aptos a compreender o alcance social e político que o liberalismo obteve sobre as estruturas e realidades do Antigo Regime.

    - Duarte Freitas - Frédéric Vidal

    • Compreender e interpretar a evolução da História de Portugal nos séculos XIX e XX;
    • Aprofundar o conhecimento das grandes transformações históricas operadas no período contemporâneo;
    • Explorar bibliografia essencial e fontes de interesse para o estudo da História Contemporânea;
    • Desenvolver metodologia adequada à investigação histórica da época contemporânea;
    • Adquirir competências no âmbito do estudo e da pesquisa;
    • Praticar investigação historiográfica, usando métodos actualizados, com vista a preparar a futura formação pessoal, ao longo da vida;
    • Aperfeiçoar a forma de comunicar no âmbito da disciplina de História Contemporânea, através de diversos meios e com públicos-alvo diferenciados;
    • Desenvolver competências, no âmbito da aplicação de uma sólida formação em História Contemporânea, a várias actividades profissionais e a diversas situações de índole profissional e pessoal.

    - Aline Beuvink

    • O aculturamento na área das manifestações da criatividade humana de forma universal e abrangente, no entendimento de que as manifestações artísticas se vêm desenvolvendo entre a individualidade e a sociedade, enquadradas pelos acontecimentos e transformações, religiosas, culturais, sociais, politicas e económicas;
    • A aquisição de conhecimentos e saberes na evolução dos valores éticos e estéticos, poderão abrir aos futuros licenciados, aptidões para desenvolverem as suas actividades profissionais nas áreas da investigação em história, jornalismo, museologia e património, conservação preventiva e valorização do património cultural e artes performativas.

     

    - Aline Beuvink

    Programa-se que o estudante fique habilitado a identificar, interpretar e descrever os marcos fundamentais da arte portuguesa numa sequência temporal e em contexto com a arte europeia. Procurar-se-á criar competências específicas para que o estudante fique preparado para o necessário escrutínio qualitativo da produção artística, numa iniciação à leitura e avaliação histórica e estética da obra de arte.

    O estudante deverá deste modo obter competência que lhe permita classificar as obras de arte de referência estabelecidas no programa, fixando cronologias, identificando o cunho pessoal dos criadores, interpretando os seus conteúdos e respectivas condições de produção.

    Procurar-se-á que o aluno fique apto através do conhecimento adquirido à melhor compreensão do património artístico nacional e sensibilizado para a sua respectiva conservação e defesa a par da capacidade para iniciar projectos de investigação e programas de formação e divulgação no domínio específico da disciplina.

    Arqueologia
    6 ECTS

    - Aline Beuvink - Miguel Faria

    • Compreender e interpretar a evolução da produção artística do séc. XVII ao séc. XIX, no contexto da arte europeia contemporânea e sua especificidade;
    • Transmitir conhecimentos avançados sobre a Gramática dos Estilos Artísticos do Barroco ao Romantismo, recorrendo a estudos de caso,desenvolvendo uma metodologia que potencie as capacidades de identificação, programando competências técnicas que permitam abordagem segura na avaliação das obras de arte e nas respetivas vertentes de datação, reconhecimento de estilo e autoria;
    • Desenvolver princípios de estudo e investigação sobre diversas disciplinas artísticas,valorizando compreensão do impacto das obras no seu tempo, e da interacção entre patrocinador e produtor, numa perspectiva evolutiva do estatuto social da arte e do artista;
    • Introduzir métodos de análise e compreensão com amplo recurso à imagem, fixando técnicas de descrição com recurso a glossários e linguagens controladas, cujo necessário domínio certifique as competências.

    Seminário
    6 ECTS

    - Adolfo Silveira Martins - Telmo Pereira - Maria Helena Macedo - Aline Beuvink - Miguel Faria - Carmen Figueiredo

    Construção de um modelo de apresentação do projecto de seminário.

    Carmen Figueiredo

    Fernando Martins

    João Lima Sousa

    Maria Luísa Jacquinet