Congresso Internacional “Arquivos, História e Memória, da Era das Revoluções à Primeira Grande Guerra” | 7 e 8 abril 2020

 7 Abril, 2020 - 0:00

Lisboa, Portugal
Arquivo Nacional da Torre do Tombo

Submissão de propostas até 13 de Setembro, 2019

Submissão de Propostas e Publicações das Comunicações

As propostas serão submetidas electronicamente através do formulário disponível no site do congresso até ao dia 13 de Setembro de 2019, numa das seguintes línguas: português, inglês, francês ou espanhol. A notificação da aceitação das propostas será enviada por e-mail até ao dia 28 de Outubro. Depois do congresso, os autores serão convidados a submeter o texto das comunicações para publicação num e-book após decisão positiva do painel anónimo de avaliação.

Inscrição e Acreditação

A inscrição é gratuita, mas os participantes têm de preencher o formulário a disponibilizar oportunamente no sítio do congresso. As inscrições abrirão a 16 de Setembro de 2019. Acreditação: o congresso será submetido à acreditação do Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua, de forma a que a sua frequência releve para efeito de progressão na carreira de Professor do Ensino Básico e Secundário.

 

Secções, Questões de Análise e Sugestões de Temas

Secção I – A Modernização do Estado e a Nova Paisagem Informacional e Arquivística

Como se reconfigurou a produção e a conservação da informação nas metrópoles europeias com a criação do Arquivo Nacional e com a transformação ou extinção de organizações até aí fortemente produtoras de arquivos?
Temas:
• Do arquivo da coroa ao arquivo nacional;
• Os arquivos da administração central e periférica;
• Os arquivos municipais;
• Os arquivos da Igreja;
• Os arquivos de empresas;
• Confrarias, misericórdias e associações;
• Os arquivos de Casas e famílias.

 

Secção II – Arquivar o Império

De que modo o arquivo colonial serviu os propósitos governativos da administração metropolitana e se relacionou com a prova e memória das populações locais? Como foi reconfigurado o arquivo histórico dos antigos espaços imperiais e o que sucedeu aos acervos das suas instituições?
Temas:
• Os arquivos dos novos estados do continente americano;
• Os arquivos dos espaços coloniais.

 

Secção III – Processando o Passado: Arquivistas e Historiadores em Definição de Fronteiras

Como evoluíram a profissão e a formação do arquivista e os seus saberes? Que papel tiveram os historiadores na criação da nova paisagem informacional e arquivística? Como se relacionaram os historiadores com os arquivos e que importância efectiva teve a documentação arquivística na História-ciência então nascente?
Temas:
• As transformações na profissão de arquivista e na arquivística;
• Os intérpretes do passado: a escrita da História e os documentos de arquivo.

 

Secção IV – Para Além dos Arquivos
Como documentar os grupos subalternos e os excluídos, cuja menor presença, ou mesmo ausência, dos arquivos de Estado, foi uma realidade apesar de toda a retórica da inclusão e da igualdade que presidiu à construção do Estado liberal?
Temas:
• Documentar os subalternos e os excluídos;
• A oralidade e a tradição como formas de prova e de memória.

 

Secção V – Mesa Redonda: O Futuro do Passado
Olhando o futuro a partir de um reforçado e plural conhecimento do passado, esta mesa redonda contará com a participação de diferentes profissionais que se ocupam e preocupam com a política arquivística. Ela tem em vista a elaboração de um balanço/estado da questão, em torno dos novos modelos de conceptualização e de actuação no sector, das necessidades e dos desafios do presente.