Conferência “Braços Cruzados, Máquinas Paradas (1978): a classe operária feminina à luz de uma análise fílmica” | 23 outubro | 18h30 | Auditório 1

 23 Outubro, 2019 - 18:30

Ao final dos anos 1970, durante a transição democrática brasileira, as esquerdas nacionais foram surpreendidas por grandes greves operárias em São Paulo, uma cidade com cerca de 15 milhões de habitantes que abrigava à época o maior centro industrial da América Latina. Braços Cruzados, Máquinas Paradas (1978), um filme de Roberto Gervitz e Sérgio Toledo Segall, é um documentário sobre estes acontecimentos históricos e políticos. Esta apresentação é uma abordagem historiográfica que explora as representações fílmicas sobre os movimentos femininos de trabalhadoras. O estudo partiu de um vestígio iconográfico que nos fez estabelecer uma conexão entre o filme e a pintura O Quarto Estado (1901) de Giuseppe Pellizza da Volpedo. A partir dessa conexão, pretendemos demonstrar como houve certo silêncio de gênero frente à fundamental atuação das mulheres das classes trabalhadoras na história Brasileira dos anos 1970.

 

Oradora

Regina Egger Pazzanese

Doutora em História Social pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP). Mestre em História Social (UEL) e graduada em Comunicação Social (FAAP). Pesquisadora em artes visuais, cultura, circulação e produção artística e as práticas dos movimentos sociais emergentes no período da ditadura militar brasileira (1964-1985). Atua nas áreas de História e Audiovisual, principalmente nos temas: Cinema e História, História do Brasil Contemporâneo, Cinema e Gênero, Mundo do Trabalho, História do Movimento Operário Brasileiro e Internacional

 

Departamento de História, Artes e Humanidades